Celebramos Dia Mundial da Criança e reconhecimento do Itaú-UNICEF

AfroMundi Mirim afirma a cultura afro-descendente na pracinha de Cabelo Seco numa festa celebrando Dia Mundial da Criança.

AfroMundi Mirim afirma a cultura afro-descendente na pracinha de Cabelo Seco numa festa celebrando Dia Mundial da Criança.

Nesta sexta-feira, dia 16 de outubro, o projeto socioeducativo e eco-cultural enraizado na comunidade Cabelo Seco desde 2008, ‘Rios de Encontro’, participará na premiação regional do Itau UNICEF. A Universidade Comunitária dos Rios, guarda chuva de todos os cursos, eventos e festivais de formação realizados pelo Rios de Encontro no território de Cabelo Seco, em parceria com Escola Municipal Jose Mendonça Vergolino, foi um dos 1947 projetos do país que se inscreveram no prêmio no tema ‘Educação Integral: Aprendizagem que Transforma’. 158 foram selecionados como semi-finalistas e, neste sexta feira, 04 projetos serão selecionados como os premiados da região Norte, para entrar como finalistas a ser premiados no nível nacional.

Cine Coruja e biblioteca Folhas da Vida promoveram leitura crîtica do mundo através de cinema independente e vídeos comunitários para 90 crianças e adolescentes no Dia Mundial da Criança.

Cine Coruja e biblioteca Folhas da Vida promoveram leitura crîtica do mundo através de cinema independente e vídeos comunitários para 90 crianças e adolescentes no Dia Mundial da Criança.

“Somos extremamente felizes”, disse Dan Baron, coordenador do Projeto, “de termos sido selecionados como semi-finalistas. Isto é uma grande afirmação de nossa colaboração pedagógica com o Municipal em busca de uma educação que integra a família, a rua e a escola. Esta colaboração tem profundidade porque compartilhamos a visão que Cabelo Seco e tantas outras comunidades afro-descendentes populares tem sabedoria, pesquisa sociocultural e produção cotidiana de conhecimento e de alfabetização ecológica.”

‘Universidade Comunitária dos Rios’ surgiu em setembro de 2012 dos cursos jovem e adulto de Inglês Dialógico, ministrado pelo Rios de Encontro, tanto para valorizar os saberes populares do Cabelo Seco numa colaboração com estudantes de Inglês e Pedagogia da Universidade Federal do Pará e professores de escolhas públicas em Marabá, como resignificar a comunidade excluída como um território de produção de história, cultura, conhecimento e aprendizado ribeirinhos, e suas crianças e adolescentes como colaboradores transformadores na sua própria educação formal a partir de suas culturas amazônicas.

Carol Souza (co-coordenadora do Cine Coruja) e Mano Souza completam a divulgação do Dia da Criança 2015.

Carol Souza (co-coordenadora do Cine Coruja) e Mano Souza completam a divulgação do Dia da Criança 2015.

Desde 2012, vem promovendo a troca de saberes populares no Cabelo Seco e entre saberes formais na Unifesspa e nas escolas públicas de Marabá, e entre universidades parceiras no Brasil e no exterior, comprometidas com a preservação da Amazônia. Vem também criando novas pedagogias artísticas que possibilitam aprendizado transformador na educação formal, formando crianças, adolescentes e jovens em risco como colaboradores na transformação de suas escolas, a partir de suas culturas amazônicas. Sobretudo, a UniComRios se destaca por seu reconhecimento de um bairro excluído como uma comunidade de valores, um território que produz pesquisa, conhecimento e aprendizado ribeirinhos.

“Cada projeto finalista regional ganha R$50.000, a ser divido entre comunidade e a escola, e cada finalista nacional ganha R$200.000. Porém não temos expectativa a ser contemplado,’, explica Dan Baron. “Já ganhamos o prêmio nacional em 2011, e é inedito para a mesma instituïção ganhar duas vezes, porque o prêmio é para motivar e fomentar. Porém, ao mesmo tempo, este reconhecimento já é importante para todos os jovens e adultos arte-educadores envolvidos no projeto. Podemos usar a logo-marca da UNICEF para captar recursos e inspirar colaborações na busca de uma educação que garante uma formação humana, solidária e eco-cultural de qualidade para cada jovem de Marabá e Amazônia. Estamos realmente preocupados com o analfabetismo nas nossas escolas e universidades que deixa a Amazônia bem vulnerável.”

Além da participação da Maria Aparecida Noceti da direção do Municipal, Rios de Encontro levará Carol Souza, a jovem co-coordenadora da biblioteca comunitária ‘Folhas da Vida’, do Cine Coruja e do projeto de pesquisa sobre violência contra meninas e mulheres, Roupas ao Vento, para participar no evento de premiação, encontrar os projetos e conhecer Belém. “Faz parte de minha formação”, disse a Carol, “e vou representar o projeto levando os sete anos de história que criamos juntos.”

Anúncios
Esse post foi publicado em AfroMundi, Cine Coruja, CineCoruja, Folhas da Vida, Publicações, Rabetas Videos, Roupas ao Vento, Universidade Comunitaria dos Rios. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s