Apostamos em jovens artistas do mundo para preservar Amazônia

Dan Baron abre o encontro de Criadoras e Criadores: Pedagogias Corporais, Performance, Políticas, Lima 19-25 Junho.

Dan Baron abre o encontro de Criadoras e Criadores: Pedagogias Corporais, Performance, Políticas, Lima 19-25 Junho.

O projeto eco-cultural e socioeducativo, Rios de Encontro, encerrou o primeiro semestre com ações artísticas e de arte-educação comunitárias internacionais, com notícias de ter sido contemplado com seu primeiro prêmio internacional de 2016 para o projeto ‘Museum Connect’ que liga o Museu Goeldi de Belém com o Museu Stepping Stones em Connecticut (EUA), através dos protagonismo juvenil dos artistas de Cabelo Seco. O prêmio destaca a decisão de Rios de Encontro de dedicar 2016-17 à convidar jovens coordenadores de redes e projetos artístico-culturais no mundo colaborar para preservar os Pedrais de Lourenção e o Rio Tocantins.

Manoela Souza e Professora Laudelina participam com alunos do Municipal no dialogo com Guatamala (Marabá).

Manoela Souza e Professora Laudelina participam com alunos do Municipal no dialogo com Guatamala (Marabá).

Só na última semana, Rios de Encontro realizou um diálogo virtual entre 60 crianças e jovens da Escola Municipal José Mendonça Vergolino e da Escola Bairro El Campito, em Melchor de Mencos, na cidade de Peten, em Guatemala (projeto Art-Link, Creative Connections); uma roda e apresentações por jovens artistas-coordenadores da Universidade Comunitária dos Rios em Cabelo Seco e 18 universitários dos EUA, das áreas de estudos ambientais, direitos humanos, e relações internacionais; seis oficinas de formação, uma apresentação de dança e diálogos entre projetos nacionais no Encontro da Rede Teatro Comunitário Latino-Americano em Lima (Peru); e diálogos entre a Universidade Comunitária dos Rios e departamentos de artes e de pedagogia nas universidades estadual (UDESC) e federal em Florianópolis (UFSC) em Santa Catarina, para aproximar o sul e o norte do país.

Vichama Teatro, parceiro de Rios de Encontro, comemora 33 anos de teatro infantil com o espetáculo 'O Ladrão de Palavras'. Vai trazer para Marabá ao Festival de Beleza Amazônica 2016.

Vichama Teatro, parceiro de Rios de Encontro, comemora 33 anos de teatro infantil com o espetáculo ‘O Ladrão de Palavras’. Vai trazer para Marabá ao Festival de Beleza Amazônica 2016.

De volta após dez dias em Lima, o coordenador artístico-pedagógico Dan Baron, celebra os impactos de Cabelo Seco e as novas colaborações realizadas com grandes projetos das Américas. O encontro se lançou na Radio de Vila El Salvador em Lima com um novo poema ‘Meu Rio Xingu’ da bibliotecária Alanes Soares, fruto da visita do Rios de Encontro à hidrelétrica Belo Monte em maio, e foi ouvido por mais de 100.000 pessoas. A abertura em Lima iniciou com o espetáculo de dança de Cabelo Seco, ‘Nascentes em Chamas’ da Cia AfroMundi, gerando aplausos em pé. “Mostrou quantas comunidades da América Latina querem interromper a industrialização devastadora da Amazônia e substituí-la com energia solar,” disse Dan Baron.

Nuestra Gente apresenta Galileo de Bertold Brecht, destacando a arte da ciência e jovens mulheres como protagonistas do futuro (Lima).

Nuestra Gente apresenta Galileo de Bertold Brecht, destacando a arte da ciência e jovens mulheres como protagonistas do futuro (Lima).

“Ao longo de uma semana de troca criativa, reflexiva, ousada e profunda sobre os grandes desafios e riscos que o mundo está vivendo, os projetos com mais 20 anos de existência no continente, Nuestra Gente (Colômbia), Vichama (Peru), Pombas Urbanas (Brasil), Teatro de Escuta (Argentina) e Rios de Encontro decidiram em criar uma intervenção global nos Pedrais de Lourenção em novembro, e oferecer espetáculos e oficinas sobre como o teatro pode visibilizar injustiça, cicatrizar a primeira infância violentada e roubada, e proteger direitos humanos.”

Retrato dos projetos da Rede de Teatro Comunitario no III Encontro sobre Pedagogias Corporais, Performance, Política.

Retrato dos projetos da Rede de Teatro Comunitario no III Encontro sobre Pedagogias Corporais, Performance, Política.

Em Marabá, Manoela Souza (gestora cultural do Projeto) e Carol Souza (a Biblioteca Folhas da Vida) coordenaram o último diálogo virtual entre crianças sobre ’meu mundo’. “90 minutos de conversa animada,”, afirma Manoela, “a partir de pinturas que demonstram a inteligência de comunidades populares. É crime cotidiano, a aprisionar num modelo autoritário e competitivo de educação, sem recurso nenhum, que cerca a criatividade e consciência ecológica e reprova o aprendizado coletivo”. Miguel Castro, coordenador do projeto Art-Link em Connecticut, concorda. “Demonstrou o imenso potencial educativo e libertador da internet.”

Universitários dos EUA aprendem sobre Amazônia na Universidade Comunitária dos Rios.

Universitários dos EUA aprendem sobre Amazônia na Universidade Comunitária dos Rios.

Neste final da semana, pelo terceiro ano, Rios de Encontro recebeu estudantes universitários do EUA no seu Barracão de Cultura. Assistiram danças afro e contemporâneas da AfroMundi, percussão Afro-Indígena de Tambores da Liberdade, poesia de Folhas da Vida e vídeos do micro-projeto Rabetas Vídeos Coletivo. “Os visitantes ganharam um novo olhar sobre as artes como linguagens de pesquisa cultural e intervenção socioambiental,”, disse Lorena, da coordenação da AfroMundi, “e descobrirem que um bairro popular pode ser uma universidade. Produzimos cultura, sabedoria, alfabetização ecológica e comunidade!.”

Alunos do Canadá apresentam teatro infantil em defesa do meio ambiente em Lima. Vão colaborar no gestão do festival em novembro.

Alunos do Canadá apresentam teatro infantil em defesa do meio ambiente em Lima. Vão colaborar no gestão do festival em novembro.

“Em troca,”, conclui Dan, “ganhamos novos parceiros nacionais e internacionais para proteger a Amazônia e manter nossa própria independência nestes tempos de corrupção e incerteza. Mas como recipientes de um de seis prêmios do mundo inteiro do edital ‘Museum Connect’, vamos trocar nossa pedagogia artística com a rica pesquisa sobre Amazônia do Museu Goeldi em Belém e sobre jogos infantis no Museu Stepping Stones. Vai inspirar jovens artistas no mundo colaborar na criação de Rios de Criatividade em novembro, para apoiar Marabá diser ‘não’ a derrocagem dos Pedrais em 2018. No nosso Festival de Verão (24 de julho à 05 de agosto), vamos integrar nossos novos parceiros para estimular, não embriagar a energia criativa da comunidade, e cultivar a autoconfiança para proteger nosso futuro.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Advogando, AfroMundi, Festival Beleza Amazonica, Festival de Verão, Folhas da Vida, Rabetas Videos, Residências, Universidade Comunitaria dos Rios. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s